Home Panorama Econômico Anuário Estatístico ILAESE Anuário Estatístico ILAESE: Trabalho e Exploração 2017

Anuário Estatístico ILAESE: Trabalho e Exploração 2017

SHARE

“A substância do capital sempre foi a mesma, exploração dos trabalhadores, a acumulação nas mãos de poucos da riqueza e serviços produzidos pela enorme maioria da população. Mas se quanto ao seu conteúdo o capital permanece sempre sendo a própria imagem do vampiro: que se perpetua sugando o sangue dos trabalhadores, a forma superficial dessa dominação se altera todo o tempo.

Diferentemente do passado, várias informações que anteriormente eram guardadas a sete chaves, hoje são públicas e, muitas vezes, disponíveis pela internet. Vários são os veículos de comunicação – revistas, portais, sites – que cruzam e analisam os inúmeros relatórios econômicos das empresas e das instituições estatais de modo a fornecer informações para subsidiar investidores, empresários e acionistas. Podemos citar, por exemplo, a revista Exame (particularmente seu anuário Maiores e Melhores), Istoé Dinheiro; os sites Valor Econômico, Reuters entre muitos outros.

Apesar de tanta informação e de tantas publicações, todas elas são sempre realizadas da perspectiva dos capitalistas. Os dados das maiores empresas, das maiores receitas e lucros, do valor das ações, bem como dos preços de mercadorias e bens; encobrem o segredo da sua origem: a exploração dos trabalhadores, a massa de indivíduos que dia após dia tudo produzem, mas de quase nada se apropriam e são os primeiros serem jogados para o limbo com o estalar das crises econômicas. Esses veículos burgueses fazem parecer que toda essa riqueza é produto da astúcia dos empresários, uma criação oriunda de seu gênio, de sua esperteza nos negócios.

No entanto, cabe constatar que os institutos e organizações que dão subsídio para as organizações dos trabalhadores – como os sindicatos, federações, centrais e movimentos sociais – pouco uso faz desse conjunto de informações hoje disponíveis. É comum, por exemplo, em negociações sindicais e campanhas salariais, que os diretores tenham em mãos apenas o índice da inflação, ou no melhor dos casos, dados vagos sobre o salário médio dos trabalhadores, número de demissões e assim por diante.

Quase nunca é tornado claro o tamanho da riqueza produzida por cada trabalhador no interior das fábricas, dos canteiros de obras, das minas etc. É com objetivo de colocar todo o conjunto dessas informações hoje disponíveis a serviço dos trabalhadores e de sua luta que o ILAESE apresenta a proposta de um anuário estatístico. Feito com a linguagem, os números, as análises que possibilitem aos trabalhadores tomarem consciência da dimensão da exploração a que estão submetidos, de que são eles e somente eles que tudo produzem e, ao mesmo tempo, tornar claro a fatia reduzidíssima dessa riqueza a que eles tem acesso por meio do salário.

No intuito de tornar mais nítido o presente projeto e convocar os sindicatos, federações, centrais sindicais representantes dos trabalhadores, bem como movimentos sociais e demais interessados a se somarem a esse projeto, explicamos abaixo com mais detalhes a estrutura geral da revista aqui proposta. Estamos certos que esse projeto pode ser uma ferramenta poderosa a serviço dos trabalhadores na luta de classes no Brasil.”

 

Editorial Anuário Estatístico ILAESE: Trabalho e Exploração 2017

SHARE