A necessidade de reestatização da EMBRAER

Nesse estudo desenvolveremos os argumentos que sustentam a reestatização da EMBRAER.

O tema é particularmente importante nesse momento histórico, com a atual crise em partes produzida ou agravada com a pandemia de COVID-19. Dentre outros desafios, o atual cenário coloca obstáculos relativos a desvalorização da moeda nacional em relação ao dólar, dificultando as exportações; coloca várias empresas em crise abrindo um período provavelmente marcado pela centralização de capitais. A questão é particularmente importante no que diz respeito a indústria aeroespacial, com cerca de 90% das rotas comerciais paralisadas, profunda crise na Boeing em função dos reveses do modelo 737 MAX e a emergência de novos concorrentes no mercado, chineses e russos, fortemente financiados pelo Estado.

No curso dessa análise, procuraremos mostrar que a indústria aeronáutica brasileira está seriamente ameaçada, caso a EMBRAER não seja reestatizada. Apesar do elevado sucesso da empresa no curso das últimas décadas, o atual cenário deve acelerar a centralização e novas composições no setor por motivos que serão explicados mais adiante. Os acionistas da empresa, justamente pelo sucesso obtido até aqui, querem o mais rápido possível se desfazer das ações e
recuperar os capitais investidos em um futuro marcado por incertezas.


No entanto, a Empresa é, hoje, mais do que no passado, estratégica para o Brasil de uma perspectiva tecnológica, militar e econômica. Por esse motivo, nos itens que se seguem, desenvolveremos os argumentos que demonstram a necessidade de reestatização imediata da empresa, sob controle e no interesse da sociedade brasileira.

Faça o download do estudo aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.